Blog de Email Marketing

Boas Práticas

10 mitos do email marketing

Juliana Padron Por Juliana Padron em 17.10.2007

O Email Marketing é mesmo uma estratégia de comunicação muito eficaz, comprovada por pesquisas e estatísticas cujos dados crescem a cada período. Por este e outros motivos, cresce cada vez mais o interesse de micro, pequenas, médias e grandes empresas nesta poderosa ferramenta de marketing, porém, muitos chegam a ela pelos motivos errados ou apenas distorcidos. Estes, são os mitos do Email Marketing. Ao adotar o Email Marketing como parte do mix de comunicação de sua empresa, cuidado com alguns pensamentos que podem surgir antes, durante e depois da campanha:

“Email Marketing é gratuito”

Não é. Além do tempo investido para criar uma campanha eficaz, é importante utilizar um endereço de email do domínio da empresa ao invés de um gratuito para gerar credibilidade. Aqui, já são contabilizados custos com hospedagem e manutenção do nome de domínio. Há quem prefira utilizar o Outlook para enviar Email Marketing, mas as melhores ferramentas para o gerenciamento das campanhas são pagas. Se a empresa optar por um Email Marketing em HTML, por exemplo, precisará contratar um profissional com estes conhecimentos ou investir no aprendizado desta linguagem (caso não possua pessoal já capacitado). Apenas nesta análise superficial, já surgiram investimentos em tempo, hospedagem, softwares e treinamentos.

“Fazer/enviar Email Marketing é fácil”

Também não é. É preciso planejamento, conhecimento do mercado, do público e requisitos técnicos (software, pessoal etc). Os cuidados com a elaboração de um Email Marketing vão além de uma mensagem escrita para um amigo ou prospect: linguagem adequada, revisão gramatical, atenção para as palavras com o potencial de spam, com o tamanho final da mensagem e acompanhamento dos resultados são apenas algumas das tarefas que tornam o desenvolvimento/gerenciamento de uma campanha de Email Marketing não tão simples assim.

“Email Marketing é spam”

Email Marketing é diferente de spam. O spam acontece quando a privacidade do usuário não é respeitada. Se ele não quiser receber seus emails, não insista. Se insistir, seu e-mail marketing vira spam com direito a constar na Lista Negra e Lixo Eletrônico da caixa postal do usuário. O Email Marketing deve ser útil ao usuário, fornecer alguma informação que seja de seu interesse ou para demonstrar que sua empresa está/continua atenta às necessidades dele. Seu Email Marketing só se torna spam se você o fizer já com esta intenção.

“Devo usar um Assunto ‘misterioso’ para despertar a curiosidade do usuário em ler minha mensagem”

O assunto de sua mensagem deve mesmo despertar o interesse do usuário para a leitura, mas nunca deixando-o em dúvida sobre sua procedência ou confiabilidade. Não frustre o usuário dizendo uma coisa no assunto e falando sobre outra no corpo da mensagem. Aqui também vale tomar cuidado com o uso de certas palavras para não ser barrado pelos filtros antispam do servidor de e-mails do usuário e nem chegar a constar na caixa de entrada. Seja claro, objetivo e use as palavras-chave de sua campanha.

“O que importa é o número de destinatários: quanto mais, melhor”

Na verdade, o que importa é a qualidade dos destinatários. É muito mais vantajoso você enviar um Email Marketing a 100 usuários potenciais (que têm grandes probabilidades de se interessar por seu produto/serviço) do que enviá-lo para 1.000 usuários que não têm o perfil de seu público consumidor e, conseqüentemente, não terão interesse em seu produto/serviço.

Por isso, em muitas vezes, as empresas não têm sucesso em campanhas de Email Marketing que são enviados a listas de email de procedência duvidosa. Muitos destes endereços já não são mais válidos, foram gerados aleatoriamente ou pertencem a pessoas que não têm o perfil de seu público-alvo. Este princípio de qualidade também é utilizado nas campanhas de links patrocinados: quanto mais específicas forem as palavras-chave escolhidas, maior a probabilidade de o anúncio receber um clique de um usuário realmente interessado.

“Não posso/preciso usar Email Marketing porque sou uma empresa pequena”

Qualquer empresa, de qualquer porte, e até mesmo pessoas físicas podem utilizar o Email Marketing como ferramenta de comunicação. Toda empresa ou profissional liberal precisa estabelecer uma comunicação eficaz com seus potenciais clientes. Estes, por sua vez, uma vez que criaram vínculo com a empresa ou profissional, se interessam em receber suas notificações. Este é um bom argumento para aqueles que afirmam que não podem fazer Email Marketing porque não têm uma base de dados de usuários cadastrados: verifique todas as pessoas que entraram em contato com você ultimamente e pronto! Uma base de dados inicial já se formou. Apenas respeite a decisão posterior de cada um de continuar recebendo ou não suas mensagens.

“Se eu mandar Email Marketing sempre, os consumidores vão fixar minha marca”

Depende da campanha que você criar. Existem promoções que exigem a participação constante do usuário, por exemplo, respondendo perguntas periodicamente. Este tipo de ação pode ser feita por email. Mas respeite a decisão do usuário de não mais fazer parte de sua base de dados e não mais receber suas mensagens. Se você ignorar um pedido de opt-out, o usuário vai fixar sua marca de um modo negativo e associar sua empresa à prática de spam.

“Nenhum usuário gosta de receber Email Marketing” ou “Email Marketing é chato”

Lembre-se que é você quem faz o Email Marketing. Ele pode ser divertido, informativo, promocional e com diversas outras características que dependem de seu público-alvo e do objetivo da campanha. Uma vez que um cliente/usuário tenha estabelecido uma comunicação com a empresa, ele tem interesse em receber notificações para saber o que há de novo e o que mais pode lhe interessar. Esse tipo de ação contribui com a construção da marca, por isso, procure fazer com que o Email Marketing reflita os princípios e conceitos da empresa. Se você percebe um volume anormal de opt-out ou falta de retorno, é preciso rever sua campanha.

“Meus produtos não têm um perfil de venda por email”

E quem disse que Email Marketing serve apenas para vender produtos? Um dos objetivos do Email Marketing é fazer com que o usuário continue “ligado” em sua marca. Para isso, você pode lançar mão de newsletters com informações sobre o mercado em que seu cliente atua, fazer pesquisas qualitativas, promoções, avisar sobre e enviar convites para eventos, escrever artigos sobre um tópico atual (sempre estabelecendo alguma conexão com sua empresa) etc. Não faltam motivos para o contato!

“Email Marketing é a ferramenta com maior custo-benefício”

Depende. Mais uma vez, o retorno depende do planejamento da campanha e até mesmo de oscilações do mercado. O Email Marketing apresenta riscos como qualquer outra opção dentro do mix de comunicação da empresa. Claro que uma campanha, especialmente a de Email Marketing, sempre é criada visando seu sucesso e caráter viral, mas o Email Marketing não é a solução perfeita para todos os negócios. Devido àquele primeiro mito de que Email Marketing é gratuito ou tem baixo custo, muitos acreditam que o retorno mínimo já é, naturalmente, maior do que o investimento, o que é um erro. Faz parte do planejamento de qualquer campanha de marketing avaliar os riscos em relação ao investimento e comparar com outros tipos de mídia.

Depois destes alertas, é importante que o empresário, desenvolvedor ou analista que opta pelo uso do Email Marketing perceba que não existe uma receita única que se adapta a todos os negócios. Para uns, o custo do Email Marketing realmente é baixo, beirando o nulo, mas a qualidade, geralmente, é proporcional. Uma coisa é certa: planejamento é necessário e independe do tamanho da campanha ou do número de destinatários.

Boa sorte e sucesso em suas campanhas!

Assine Nossa Newsletter


Por favor informe um endereço de email válido.

Acompanhe Nossas Publicações