Blog de Email Marketing

Mercado

O futuro trará um Outlook melhor para o email marketing

Juliana Padron Por Juliana Padron em 18.08.2016

Essa semana, durante o seu evento de três dias dedicados a palestras sobre design e programação de emails em HTML, a Litmus – empresa proprietária de uma aplicação para testes de preview de templates de email marketing nos principais programas de email internacionais – anunciou uma parceria inédita com a Microsoft para tornar o Outlook um programa de emails melhor.

Parceria Litmus-Microsoft para tornar o Outlook melhor para email marketing

Na verdade, a própria Litmus não vai fazer muita coisa, quem vai contribuir com sugestões para “consertar” o Outlook são os email designers – que convivem diariamente com a agonia que é programar emails para o Outlook – que poderão enviar um email à Litmus com sugestões de consertos e melhorias para o Outlook. Essas sugestões serão transmitidas à Microsoft, já que a parceria estabelece uma linha direta de comunicação entre eles.

A atitude seria mais louvável se a Microsoft não estivesse sete anos atrasada para ouvir a comunidade de emails: em 2009, houve a primeira tentativa de aproximação com a Microsoft, feita pelo Campaign Monitor, em sua campanha FixOutlook.com – que também apresentamos por aqui.

Nesta ocasião, milhares de email designers se manifestaram publicamente sobre os problemas de renderização de emails do Outlook oriundos do fato de seu mecanismo renderizador de HTMLs ser o mesmo do MS Word, e a Microsoft não apenas ouviu os apelos, como também enviou uma carta-resposta ao Campaign Monitor dizendo que ela (Microsoft) estava bem satisfeita com o rendering engine do Outlook e que não pretendiam mudá-lo tão cedo.

Curioso é que essa carta, chamada The Power of Word in Outlook (O Poder do Word no Outlook), foi publicada no blog MSDN, na época, mas hoje, a página está indisponível, como é possível conferir acessando o link.

Agora, no evento da Litmus, Caitlin Hart, Program Manager da Microsoft e membro da equipe de desenvolvimento do Outlook, afirmou que eles querem que “as pessoas amem seus emails, e um modo de fazer isso é tornando melhor a exibição deles no Outlook”. E ainda, que “descobriram agora toda uma email community que poderia ajudá-los neste processo”. Bem, essa email community existe há muitos anos e já tentou uma aproximação com a Microsoft antes, justamente para ajudar a tornar o Outlook melhor, mas parece que as sugestões foram deixadas de lado.

Meses depois da campanha FixOutlook ser lançada, a Microsoft tentou provar estar ouvindo as reivindicações e lançou o website makeofficebetter.com para colher feedbacks gerais sobre o MS Office, e as pessoas votaram tanto no item “Melhorar o suporte a HTML do Outlook” que o colocaram em primeiro lugar no ranking das features sugeridas. Esse site também não está mais disponível.

makeofficebetter
Fonte: Campaign Monitor

Talvez agora, com tantos novos aplicativos de email surgindo – especialmente mobile – a Microsoft tenha interesse em fazer produtos melhores, mas acredito que o problema de renderização das versões 2007, 2010 e 2013 vai continuar.

Considerando-se o fato do Outlook ser um programa de email de uso mais corporativo do que pessoal, uma aposta é que, em 2020, ainda estaremos programando emails para funcionar nessas versões antigas e ruins do Outlook, dada a velocidade com que as empresas atualizam seus sistemas e dado o fato de ser muito provável que a Microsoft não lance service packs com atualizações que corrijam seus problemas.

Fazer produtos melhores e ouvir os consumidores é o trabalho do dia-a-dia de toda empresa. Talvez por isso, o Outlook 2016 tenha saído melhor do que suas versões anteriores, porque sua capacidade de renderização é bem superior a elas.

Como o Outlook 2016 já é uma versão melhorada das anteriores, nada mais justo do que a próxima versão ser ainda melhor do que esta. Quer dizer, vamos torcer para que a Microsoft tenha aprendido essa lição, relembrando que lá pelo início dos anos 2000 resolveu substituir o rendering engine do Outlook – que era o mesmo do Internet Explorer – pelo do MS Word, causando um retrocesso no modo de desenvolver e exibir emails em HTML no Outlook.

Vamos torcer também para que a parceria Litmus/Microsoft não fique perdida no tempo e seja esquecida na próxima troca de VPs ou Heads ou Managers da equipe responsável pelo Outlook, deixando esfriar essa iniciativa da mesma forma como esfriou anos atrás depois que o barulho do FixOutlook acalmou. Assim como em 2009, toda a comunidade de email designers está em polvorosa com a novidade, esperamos não nos decepcionar novamente.

Assine Nossa Newsletter


Por favor informe um endereço de email válido.

Acompanhe Nossas Publicações