Blog de Email Marketing

Templates

Formulários no Email Marketing

Juliana Padron Por Juliana Padron em 23.07.2008

Uso de formulários em email marketing sempre foi uma questão polêmica. É tentador imaginar que você poderia, através do formulário no email, facilitar a atualização de dados cadastrais dos destinatários, promover sua participação em concursos culturais, solicitar suas respostas a pesquisas qualitativas e muitas outras possibilidades. Mas afinal, pode-se usar formulário ou não? Funciona? Pode caracterizar o email como spam? Apesar de frustrar algumas pessoas, a resposta para todas essas perguntas é muito simples: sim… e não.

Os métodos “get” e “post”

O elemento form do HTML possui, entre alguns outros, o atributo method. Este, por sua vez, pode ser configurado com um entre dois valores: get e post. Geralmente, formulários de contato em sites da web utilizam post para enviar as informações inseridas nos campos para o servidor de destino. Formulários de campos de busca, por sua vez, geralmente, utilizam get para consultar a informação solicitada no servidor e retorná-la ao usuário.

Nada impede que um formulário de consulta utilize o método post e um formulário de cadastro – que poderia causar mudanças em uma base de dados – utilize o método get, mas essa não é uma prática de desenvolvimento recomendada.

Seja para gravar informações ou apenas consultar, o método get envia as informações dos campos através de parâmetros na URL. Isso significa que tudo o que for preenchido no formulário ficará visível no endereço, inclusive informações importantes e confidenciais que, porventura, forem solicitadas ao destinatário. Além disso, toda URL tem um limite de caracteres, o que torna inviável o preenchimento de diversos campos ou, ainda, de campos sem limitação de caracteres. Por isso, para enviar e gravar informações, o método post é mais seguro e impõe menos limitações.

Porém, por questões de segurança ao usuário, os programas de email bloqueiam a funcionalidade de formulários configurados com o método post, justamente pelo fato do envio da informação através deste método poder causar a modificação de uma base de dados ou mesmo a assinatura de um serviço indesejado.

Assim, entendemos que o post não funciona em emails, nos restando apenas o get, mas somente para fazer consultas. Por isso, muitos remetentes optam por usar um formulário de busca no email marketing, que consiste num recurso de usabilidade e oferece mais uma possibilidade ao destinatário de encontrar um determinado conteúdo no website do emissor da mensagem.

Javascript

Sabe-se também que as aplicações de email não interpretam nenhum outro código diferente de HTML. Algumas simplesmente ignoram, outras, exibem o “código estranho” no meio do conteúdo, atrapalhando a comunicação principal.

Javascript é uma linguagem muito importante para a validação de campos de um formulário. Uma programação em javascript pode determinar a obrigatoriedade do preenchimento de determinado campo, criar máscaras para modificar a aparência de campos numéricos, quando preenchidos, indicar campos de conteúdo apenas numérico ou somente textual e diversas alternativas.

Porém, o fato das aplicações de email não interpretarem outra codificação além do HTML, é um ponto contra o envio de emails que contenham formulários. Afinal, se um formulário não pode ter seus campos validados como obrigatórios, numéricos ou textuais, a probabilidade de recebê-los em branco ou, pior, com informações erradas, aumenta consideravelmente.

Avaliação de resultados 
Outro ponto desfavorável é a impossibilidade de medir os resultados do envio com precisão. O sucesso do email marketing é mensurado, principalmente, através dos cliques nos links da mensagem. Além de ajudar a segmentar a base por interesses, os cliques geram tráfego ao website e levam à conversão.

Então, se apenas os cliques nos links são mensuráveis, em um email com formulário não será possível identificar, por exemplo, quem clicou em determinado campo ou quem parou de preencher em algum momento.
Porém, se a comunicação por email direcionar o receptor da mensagem a um website que contenha o formulário, as métricas de pós-clique podem revelar todos os passos percorridos por ele, bem como mostrar se houve abandono do preenchimento.

Conclusão

Vimos que, teoricamente, é possível fazer funcionar um formulário enviado por email utilizando o método get. Porém, se não há como garantir o preenchimento correto dos campos, a organização da informação enviada na base de dados e, muito menos, as métricas que trariam o retorno da ação, é praticamente inviável utilizá-lo como ferramenta de apoio em campanhas de email marketing. Isso vale tanto para atualizar os dados cadastrais de um contato ou fazer pesquisas qualitativas.

Já o uso do formulário como ferramenta de consulta consiste num recurso de usabilidade funcional e altamente recomendado, que permite ao destinatário buscar qualquer informação desejada no website. Para disponibilizar um sistema de busca no email, é importante garantir a eficácia e a eficiência no retorno dos resultados, senão, é melhor não arriscar.

Assine Nossa Newsletter


Por favor informe um endereço de email válido.

Acompanhe Nossas Publicações